sexta-feira, 7 de março de 2014

Na casa de banho

O Duarte leva o telemóvel para a casa de banho, coisa a que nunca me vou habituar. Assim, passo a vida a perguntar: Diz? E ele a responder: Não é contigo mãe, é com fulano!
Os banhos são ao som de música, do telemóvel, e ultimamente vai também o computador pois, sentado, não perde pitada do facebook ou lá do que é.
Em conversa com uma prima comento estas manias, estes rapazes que adorariam ter chips incrustados, acho eu, para estarem sempre On, ligados, conectados, linkados, ...
A minha prima ri-se e responde-me: E que tal uma viola?
Não percebo e a minha expressão deve ter sido elucidativa pois ela riu-se e explicou que o filho leva a viola para a casa de banho e, sentado, vai treinando; mais ainda, toca e canta!
Rimo-nos ambas e ela confidencia-me que quando a coisa sai muito desafinada o pai do artista comenta que ele está a fazer força... mas parar? Isso nunca!

Sem comentários:

Enviar um comentário